Barganha: Temer “paga” jantar para Aécio em troca de ajuda dentro do PSDB para arquivar denúncia contra ele

O presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) jantaram neste sábado (30), no Palácio do Jaburu, residência oficial do peemedebista. Interlocutores relataram que o objetivo do convite de Temer foi pedir a Aécio mobilização dentro do PSDB para arquivar a denúncia que poderá ser votada pelo Plenário da Câmara dos Deputados na próxima quarta-feira (2).


Parlamentares tucanos têm se dividido a respeito de como votar a denúncia. Os sinais contraditórios do PSDB, que tem presença forte na composição ministerial do governo federal, estão fazendo com que partidos mais fieis a Temer, como PR e PRB, pressionem o presidente a fazer uma reforma com o objetivo de retirar dos tucanos os cargos mais importantes e prestigiados, como o Ministério das Relações Exteriores e a Secretaria de Governo da Presidência da República.

Recentemente, Aécio se reaproximou do Palácio do Planalto. Depois do vendaval da delação de Joesley Batista, da JBS, que motivou o afastamento do senador mineiro tanto do mandato de senador quanto da presidência do PSDB, o tucano, por articulação do governo e de aliados, foi reconduzido ao cargo no Senado, teve seu pedido de cassação de mandato no Conselho de Ética da Casa arquivado e ainda teve negado pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), um pedido de prisão feito pela Procuradoria-Geral da República.

Nos próximos dias, a depender do êxito de Aécio na articulação de seu partido para manter Temer no Palácio do Planalto, votando contra a denúncia de corrupção passiva na Câmara, o senador poderá ganhar mais força dentro do partido. Nas últimas semanas, líderes e parlamentares do PSDB iniciaram um movimento para pressionar Aécio a deixar em definitivo a presidência do partido e convocar eleições para a escolha do novo líder.


Deixe uma resposta