A oposição é burra! A pobreza que Temer fez crescer no país ajudou a aumentar a popularidade de Lula

Por Kátia Figueira

Hoje a mídia bombardeou os noticiários com dados negativos que comprovam que o Brasil retrocedeu novamente e voltou a estampar a fome nas manchetes dos jornais. A ONU fez o alerta: “crise pode levar Brasil de volta ao mapa da fome”. Crise moral, política e econômica que o governo Temer fez o país passar com seu golpe.


 

A farsa das pedaladas fiscais promovidas por Aécio, que não aceitou a derrota nas urnas ao lado do corrupto Cunha fizeram com que Dilma fosse golpeada e não pudesse dar continuidade aos avanços conquistados por Lula e por ela no mandato anterior.

E hoje o que temos é um cenário desesperador. Cerca de 14 milhões de brasileiros desempregados, e o Brasil prestes a voltar ao mapa da fome como alertou a ONU.

E quando falei que a oposição é burra, é que eles na ânsia pelo poder, não perceberam que estão fazendo o povo sentir falta do único governo que pensou neles de verdade.

Há 3 anos atrás o Brasil estava fora do mapa da fome. Mesmo não se livrando da miséria absoluta,  o país na gestão Lula/Dilma conseguiu implantar programas sociais que ajudaram os brasileiros a saírem da linha da pobreza.

Graças aos investimentos do Governo Lula/Dilma, brasileiros antes acostumados a pobreza extrema se viram em condições de mudar de vida. Investimentos na educação como o PROUNI levaram milhares de jovens pobres para a universidade para desespero da elite. Os pais desses jovens apoiados pelo Bolsa-Família, Minha Casa, Minha Vida e outros programas puderam ver as mudanças sociais aconteceram. A redução do IPI fez com o que o pobre conseguisse comprar carros, motos e eletrodomésticos, coisa que nunca havia acontecido no país antes.

E são essas lembranças de melhorias ainda recentes na memória de muitos brasileiros que os fizeram perceber que somente Lula pode resgatá-los desse cenário de terror implantado no Brasil pós golpe.

Caberá ao Lula e sua equipe provarem que ele está disposto a reconquistar novamente este povo sofrido e governar de verdade para a classe trabalhadora, fazendo as reformas necessárias para que o país avance, mesmo tendo que enfrentar a mídia que nunca aceitou um governo popular no poder.

 


Deixe uma resposta