Orientação e ajuda para pais, educadores, crianças e adolescentes sobre o Jogo Baleia Azul oferecido pela Safernet

Ultimamente, um assunto tem chamado atenção de crianças e adolescentes, além de ter gerado conteúdo em jornais, sites e redes sociais no Brasil e no mundo: o jogo “Blue Whale” (Baleia Azul). Especialistas chamam a atenção para o modo como o jogo pode estimular comportamentos negativos, até mesmo o suicídio, especialmente entre os jovens que mais precisam de cuidados psicológicos.


 

“Blue Whale” (Baleia Azul)

O “Baleia Azul” é em um jogo clandestino no qual é dada uma série de instruções que agridem e  fragilizam os adolescentes, além de induzir os participantes a tirarem a própria vida. O jogo nasceu na Rússia e espalhou-se na internet, já há até ocorrências registradas no Brasil. Trata-se de uma quadrilha que alicia crianças e jovens e os leva a atos perigosos, sob o disfarce dos 50 desafios do jogo. Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, que está investigando a rede criminosa, os participantes aceitam o convite para o jogo no Facebook, passam seus dados pessoais e de seus familiares, e recebem, posteriormente, as orientações por Whatsapp. Os desafios, que devem ser gravados e enviados aos membros do grupo, vão aumentando gradativamente os riscos. Os afazeres começam fáceis, como “acordar em horários específicos da noite” ou “assistir a filmes de terror” e, na fase final, passam a ser ordens que vão da automutilação ao suicídio. As tarefas chegam durante a madrugada, a fim de não chamarem a atenção dos pais. Ao mostrar sinais de resistência às ordens dadas, o jogador tem a sua família ameaçada.

Algumas recomendações importantes:

  • Informar aos filhos sobre a existência do jogo da Baleia Azul e alerta-los sobre seus perigos.
  • Instruir os filhos a não adicionarem estranhos nas redes sociais.
  • Monitorar o uso de smartphones e redes sociais. Há aplicativos como o Whatsweb que possibilitam acessar as conversas de outro Whatsapp.
  • Restringir o uso da internet em determinados horários: dê limites enquanto ainda é tempo.
  • Estar presente nas redes sociais e acompanhar o que o filho está fazendo.
  • Ficar atento a qualquer mudança radical no comportamento de crianças e adolescentes.
  • Acolher os filhos e conversar sempre que notar neles algum desconforto.
  • Desligar a rede wifi de casa ao ir dormir.
  • Dialogue, converse. Sempre!

A Safernet visando auxiliar pais, crianças e adolescentes a lidarem com os perigos que assolam a internet disponibilizou um canal de atendimento que garante total sigilo e segurança. O Helpline é um serviço online que orienta como agir em caso de violação aos direitos humanos, como o caso do jogo Baleia Azul.

Então, caso esteja passando por uma situação assim ou conheça alguém que precise de ajuda entre em contato.

O canal para compartilharem é esse: http://helpline.org.br/helpline/

Compartilhe esse artigo e ajude a salvar muitas vidas

 


Deixe uma resposta