A Guerra do Colorido contra o Cinza de João Dória

Quando o Prefeito da cidade de São Paulo declarou a guerra contra o mundo do grafite ele assim como seus assessores, contavam que a sociedade como um todo pensava como eles acostumados com a arte quando vem somente de nomes renomados dos grandes museus do mundo.

A resposta nas redes sociais não levou nem 24h para atingir todo o país e até o exterior, uma vez que lá fora o grafite em inúmeras grandes cidades é considerada arte ao ar livre.




Embora em cerca de um semana depois do inicio das obras apagando os grafites pela cidade e a repercussão negativa nas redes sociais, o prefeito declarou voltar atrás dizendo inclusive que os grafiteiros seriam chamados para grafitar novamente os muros apagados etc.

Claro que sem maiores declarações ficou tudo muito vago, até porque não se sabe como será esse novo processo do grafite e quais serão os critérios adotados pela prefeitura.

Mas nessa ultima semana a coisa ficou mais feia, pois segundo declarações o prefeito pretende mandar para aprovação um projeto que restringe a venda de tintas spray na cidade de São Paulo, imaginando que as pichações vão parar pela cidade em resposta a sua atitude contra os grafiteiros.

Fonte:
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/doria-quer-restricao-da-venda-de-tinta-em-spray-em-sao-paulo.ghtml

A pergunta que não cala, é se isso não irá incentivar a venda de spray em outras cidades ou até fazer com que a pichação se torne algo mais praticado do que já era?
Mas uma vez parece que irá ocorrer uma verdadeira caça as bruxas digo aos “grafiteiros e pichadores”.




Não compete a esta página considerar certo ou errado as pichações, mas gastar tanto tempo e dinheiro com isso e deixar de lado o transporte escolar, a merenda e o leite distribuído nas escolas municipais, parece ser uma avaliação muito mal feita das prioridades para os munícipes.

Por: Francisco Santos


Deixe uma resposta