Os Filhos da Esquerda

Esse texto não irá tratar dos filhos dos políticos de esquerda, mas sim das consequências no Brasil idealizado durante a ditadura pela esquerda tendo a esquerda e centro esquerda participado ativamente da política no Brasil desde o fim da ditadura.

Nem de Comunismo, nem de socialismo foram os inúmeros governos desde vereadores até presidência com os mandatos de Lula e Dilma. Foram na realidade governos de ruptura de conceitos de esquerda em prol de um bem maior para a população como um todo.




Mas quais os impactos desse tipo de governo que se une a seus adversários de “direita” para conseguir se manter um governo estável?

Bom quando olhamos o Brasil historicamente e não somente os últimos quatro anos, podemos observar que a direita sempre esteve no poder, seja nos tempos do coronelismo ou nos que vieram depois, isso é uma constatação obvia, que dinheiro e poder andam juntos.

Porém a massificação da esquerda durante a ditadura, não foi continuada após sua queda; quase como se depois da queda da ditadura não houvesse mais proletário e capitalista. Isso fez com que inúmeros políticos que surgiram no Brasil pós ditadura, se achassem em igualdade com os demais políticos existentes anteriormente e por político me refiro aos ditos “Políticos de Carreira”, se é que isso deveria existir.

Obviamente que pobres recém ascendidos politicamente não detém todo o conhecimento da estrutura organizacional da política em suas esferas, e isso foi amplamente usado contra os próprios políticos de esquerda, uma vez que a mídia, o empresariado e os políticos de direita formam um grande bloco que se ramifica em todos os setores da sociedade, não ficariam de braços cruzados, vendo o povo pobre ascender e em nível de consumo se igualar a eles, não no nível de quantidade; Mas imagina para aquele político de direita antigo ver um pobre da favela, usar celular de ultima geração, conseguir comprar um carro e em alguns casos até a tão almejada casa própria?

Pois bem, para o bem ou para o mal vivemos em um país capitalista e que não detém o conhecimento suficiente para sair das amarras do vil metal; Mas a esquerda ir ao poder por tantos mandatos no país inteiro sem ter um plano?




O plano deveria conter não somente a ampliação dos direitos do cidadão, mas também e obviamente meios eficazes de que esses tomem conhecimento de sua existência na sociedade e qual sua posição quanto ao regime capitalista, porque o que foi criado ao longo desses anos foi duas gerações que acreditam que as coisas sempre estiveram desse modo; Que nunca estiveram piores, não foi resguardado e repassado no processo o conhecimento histórico e político do Brasil de antes e depois. Assim temos hoje muitos meritocratas que acreditam que sua melhora na vida vem unica e exclusivamente de seu esforço e nada mais.

Genericamente hoje estamos vivendo o reflexo desse governo; e mesmo que a esquerda não queira assumir, estamos sim enfrentando uma crise que foi começada pela própria esquerda, na sua incapacidade de pensar adiante, de traçar planos e segui-los com um horizonte como objetivo.

Não quero com isso denegrir os inúmeros aspectos positivos que esses governos conseguiram para a população, mas sim deixar claro que era óbvio que isso nunca seria suficiente, não para os pobres, pois estes só enxergam o dinheiro que lhes foi dado e que agora esta sendo contido, mas sim para os políticos de direita e para o empresariado que estava acostumado a se beneficiar, sem ter que oferecer serviços de qualidade e tendo que vender pouco, mantendo o nível de sua riqueza pelo nível de pobreza da maioria.

Continua…

Por: Francisco Santos


Deixe uma resposta